#Post Especial: Star Wars, O Despertar dos Cosplayers Parte 1 (por Marielle Cardoso)



           Oi pessoal! Faz um tempo que não trago algo novo para o blog não é? Então achei que seria legal trazer uma entrevista por aqui com um pessoal que vive em uma galáxia que descobri recentemente: Os Cosplay´s, especificamente da Orla Exterior Brasil. Agradeço primeiramente ao meu amigo Guilherme Macarena, através do qual conheci um pouco mais sobre este mundo e comecei a me interessar e que me apresentou a Lene Rodrigues, que agradeço também por me dar o suporte e organizar a entrevista para mim e a todo o pessoal pela simpatia e gentileza de ter participado e terem mandado as fotos para este post, que ficará na parte 2. 
         Fiz ela através de um grupo no Facebook e vou reproduzi-la aqui na íntegra. Espero que gostem e se divirtam tanto quanto eu. Let's go!


1- O que é a Orla Exterior? 


Sinuhe: É uma família

Guilherme:  Um fã clube que me recebeu muito bem quando conheci, me aceitaram, me ensinaram várias coisas sobre Star Wars e me proporcionou vários momentos únicos! 
Emoticon grin
Marcos:  Pros fãs de Star Wars um lugar pra conhecer amigos, aprender e se divertir. Pra mim uma família 
Emoticon smile
Lene: é conhecida como a maior parte da galáxia. Era repleta de uma grande diversidade de mundos e de planetas robustos e de fronteiras primitivas. Lá tinha muitos caçadores de recompensa e contrabandistas, Dominada pelos Huts!

Por isso que em nossa Familia temos de tudo, caçador de recompensa,Jedi, Sith, Troopers, contrabandista (Han Solo).. Emoticon heart



Juliana: O nome Orla Exterior foi dado, pois segundo o que consta na saga, a Orla era composta por planetas localizados fora da Orla Média, era a parte da galáxia menos explorada e povoada. Haviam caçadores de recompensa e contrabandistas. 
Por ser um fã clube do ABC, um local mais "isolado" de São Paulo e por adotar todos os tipos de filosofia (Sith, Jedi, Rebelde, Caçador de recompensa, Contrabandista...) esse foi o nome dado. 

Aqui não importa se é um padawan (iniciante) ou um Meste Jedi (PhD) em conhecimentos. Basta gostar da saga que é bem vindo. Todos tem o direito de participar dos eventos e expressar a opinião sobre determinado assunto. Crianças são sempre bem vindas. 

Além de proporcionar momentos de troca de conhecimentos e debates entre fãs que residem no ABC, nosso foco é sempre ajudar a quem precisa. Nos eventos sempre há a coleta de 1 kg de alimento para entrada. Há também campanhas de doação de sangue, visando ajudar a quem precisa. 
Para mim, é a minha segunda família.



2- Como o mundo do cosplay entrou na vida de vocês?

Guilherme: Veio por meio de um amigo, sempre fui em eventos para tirar fotos. Ele é cosplayer desde que conheço, e me passou uma costureira que faria a roupa. Na época, tinha acabado de ver os 6 filmes da saga, e estava assistindo Star Wars: The Clone Wars, logo o cosplay perfeito para fazer seria Cavaleiro Jedi. Emoticon smile

Marcos: Quando eu comecei a ir em eventos em 2011 e tirava muitas fotos de cosplays e fui me interessando, mais nunca achava como fazer e o "personagem perfeito". Um amigo meu (o barbudo de cabeça grande a cima) me apresentou Star Wars além de me apaixonar pelos filmes e tudo mais, nasceu a vontade de fazer um cosplay de Cavaleiro Jedi e cá estou eu.

JulianaQuando eu comecei a freqüentar eventos e admirar quem se vestia como os personagens da serie. A partir de então fiz o meu traje que passa por mudanças constantes.

Sinuhe: Eu comecei e continuo participando de eventos medievais.



3- Qual foi o momento em que decidiram iniciar de vez os cosplays? Foi difícil para vocês?

Guilherme: Foi no Up! Abc, um evento que acontece em S. André. Na primeira vez foi difícil, ainda estava nervoso por vestir a roupa. E foi nesse mesmo evento que conheci a Orla Exterior, me receberam bem, e em meio a conversa com o pessoal, me deram muitas dicas para melhorar o cosplay. Alguns ficariam chateados com as críticas, mas eu gostei. Usei elas como metas para melhorar a roupa nos meses seguintes. 
Emoticon smile

Juliana: O primeiro evento relacionado a Star Wars no qual participei foi o primeiro evento da Orla Exterior, em Outubro de 2012. Achei interessante a paixão dos fãs pela saga e no dia, haviam 3 cosplayers. O segundo evento que participei foi de outro fa clube de star Wars do ABC, que hoje não existe mais e neste me chamou a atenção a quantidade de cosplayers. No Anime Friends de 2013 fiz meu primeiro cosplay, nao era relacionado a star wars, foi o de Alex do Laranja Mecânica (eu gostava muito do filme e o cosplay era fácil de fazer e usei um sabre de luz). O primeiro cosplay de star Wars que fiz, foi no star Wars run, por ser um evento da Disney, decidi fazer algo para ficar na área VIP junto com os outros cosplayers. Dai fiz uma Sith, foi mais um "cospobre", montei em casa um traje preto e minha mãe fez uma capa. meu cosplay desde então sofre constantes mudanças. Eu ainda estou insatisfeita com ele, ainda pretendo deixa-lo melhor. No inicio é complicado fazer, por muitas pessoas tem preconceito, mas quando as pessoas pedem
pra tirar fotos com você, isso muda.

Lene: Minha primeira vez foi na Star Wars Run de 2014 evento realizado pela Disney 


4- Como funciona o processo de transformação? É utilizado um processo de "interpretação" quando já estão prontos?

Guilherme: De cosplay só muda as brincadeiras, uso o sabre de luz para brincar com as crianças, empresto para o pessoal na hora da foto, e as vezes o adulto fica mais feliz que a criança com isso rs. Interpretação rola mais nas poses para fotos, ou quando alguém quer filmar alguma performance para canal de Youtube. 
Emoticon smile

Juliana: Não basta se vestir como um personagem da serie, acredito que é preciso se identificar de algum modo, ser fã. Se for realizar um personagem que já conhecido e não um que derive, é necessário um estudo, para imitar os trejeitos, modo de falar, frases clássicas, "tiques e manias", imitar o modo que se comporta, modo de andar, modo de vestir, modo de luta. 

Ao criar um personagem, é preciso criar uma história, entender a filosofia que ele acredita, desenvolver uma técnica, criar um nome.


Sinuhe: No meu cosplay tento ter uma postura do personagem, naturalmente isso é expresso em poses em fotos, pois mesmo fazendo o papel de vilão minha atitude com o público deve ser com simpatia e educação

Lene: Meu processo de transformação demora tanto como os que usam armaduras ,acredito que eu demore mais, pois a maquiagem é demorada. Como sou do Lado Negro uma Lady Sith, minha postura é ser séria, saber empunhar um sabre,tentar chegar o mais próximo das poses de ataque ou de defesa como as do personagem.



Veja o final da entrevista e as fotos na parte 2!

0 comentários