#Coluna da Mari: RomanceArte



RomanceArte
Marielle Cardoso

Ah o amor, o romance, o clima! Sempre que lemos ou ouvimos falar dele suspiramos pensando naquela pessoa, ou então lembramos de um filme da sessão da tarde com uma mocinha superando desafios e encontrando o amor verdadeiro.
Mas será que romance só cabe nesses filmes água com açúcar ou nos livros? Ou nas mensagens trocadas com a pessoa amada? Romance não é só apenas sobre beijos e “melosidade”, mas é sobre o estar bem com o amor, em ver o mundo mais vibrante e espalhar as emoções que explodem coloridas no peito.

E porque não RomanceArte com si mesmo? Afinal, o romance que se vive e se vê começa dentro da gente, e para isso ser autêntico, temos que nos romancear, nos amar, tanto as qualidades quanto os defeitos. Afinal, como já disse Jesus: “Amarás ao próximo como a ti mesmo” (Mateus 22:38). Então viva o romance, e se ame.


#Coluna da Mari Recomenda! Plano de Negocios Profit Nemawashi




      Olá galerinha! Ressuscitando este humilde vlog para recomendar o canal de um amigo, o Reginaldo Alves, lá ele fala sobre o "Plano de Negocios Profit Nemawashi", que pode ser uma ferramenta bem interessante para você. Corre lá, assista e aproveite para se inscrever!



https://youtu.be/U07XWK8-uw0

#Popcorn Time: Atypical, série original Netflix




Atypical


     Atypical é uma das novas série do Netflix, e acredito que muitos de vocês já assistiram ou pelo menos já escutaram falar.
  O tema desde lançamento, de uma temporada (por enquanto), fala do autismo, mas não da forma como muitas pessoas poderiam pensar,ela engloba muito mais do que só o autismo, mas a vida da família e de como diferente do que a maioria pensa, tem pessoas com autismo que levam uma vida comum, também  tem os mesmos anseios e sentimentos de qualquer outro ser humano. A narrativa é feita a partir do personagem principal, o jovem Sam, que conversa com sua psicóloga Júlia sobre sua vida, emoções e mais recentemente sua vontade de ter uma namorada. O que para muitos rapazes seria uma “tarefa” fácil, para ele se torna um objectivo, onde para se alcançar exige estudo,pesquisa, e conselhos,alguns não muito comuns de seu amigo Zahid, além de situações um tanto tragicômicas no seu caminho para conseguir ter uma namorada. Mas a decisão de Sam afeta toda a família, já que a mãe Elsa , não tem confiança de que seu filho autista possa lidar bem com um relacionamento amoroso e com uma vida independente, já que ela mesma se dedica exclusivamente a cuidar do filho e da casa, se sentindo a única capaz de proteger ele. Enquanto isso , Casey, a filha, se vê com decisões importantes a respeito do futuro, e se preocupando com o irmão, com quem ela se preocupava na escola. Já o pai, Doug, no início é aquele personagem que se sente deslocado na família, mas que ao longo da mesma melhora seu relacionamento com os filho enquanto a mulher entra num conflito pessoal.
A série é super divertida e emocionante, e vale a pena assistir. Confesso que a personagem da mãe ganhou meu desafeto, porém num contexto geral aborda tanto o autismo quanto às relações de amizade e amor de modo bem natural e atrativo.


Marielle Pereira Cardoso
Insta: @mcardosoescritora


#Popcorn Time: Les Miserábles, por Marielle Cardoso

 

Olá pessoal! No último domingo, dia 25/06, tive o prazer de assistir a nova peça em cartaz no Teatro Renault "Les Miserábles", baseado na obra de Vitor Hugo. A história conta a dura vida de Jean Val Jean, um pobre homem condenado a prisão por roubar um pão afim de alimentar sua irmã e família. Por tentar fugir diversas vezes, tem sua pena estendida, e quando finalmente é liberto, tem que carregar o documento que lhe impõe o estigma de ex-presidiário e o expõe ao preconceito da sociedade.

    Mas sua vida muda ao encontrar um padre, que lhe mostra que é possível mudar de vida. Então uma nova trajetória começa para Jean Val Jean, cujos encontros com outros personagens e principalmente com seu perseguidor Javert, afeta tanto sua vida como a de muitos outros.
   Além das interpretações excelentes, as canções traduzidas para o português e iguais às do filme mais recente com o Hugh Jackman, contam a história de modo tocante e empolgante, e mesmo com a quantidade de falas que você pode contar na mão, a peça não é cansativa, e ao final você se vê emocionado e com muitas questões a refletir, além de ficar com um gostinho de quero mais. Vale a pena conferir no Teatro Renault a beleza da história de Vitor Hugo.

#Popcorn Time: Mulher Maravilha (Por Marielle)




         Mulher Maravilha chegou as telas do cinema por aqui este mês e já conquistou muitas pessoas. A história da lendária princesa amazona, uma das formadoras da liga da justiça foi contada de forma bem estruturada e excelentemente representada pela bela Gal Gadot. No filme conhecemos a origem de Diana Prince, uma das amazonas que vivem na Ilha Paraíso. Cresceu sendo preparada para ser a melhor amazona, e ouvindo as histórias de seu povo e da poderosa espada "Matadora de deuses". 
   A paz na ilha é afetada quando um piloto chamado Steve Trevor cai ali, trazendo notícias de uma guerra terrível, o que desperta Diana para o objetivo de vencer o mal por trás de tudo. Esta Odisseia trará para a princesa muito mais do que uma guerra a vencer.

  Achei o filme uma excelente adaptação das histórias da Mulher Maravilha,apresentando-a como muito mais que uma mulher com um uniforme atraente e poderes, mas sim como uma pessoa com bom caráter, usando o amor e a justiça e a percepção exata do que é certo para vencer os conflitos. Com ótimos gráficos, um romance que complementa a história sem deixá-la boba e cenas de luta de tirar o fôlego, Mulher Maravilha é o filme que você não pode deixar de ver.

Trailer!






Sobre Gal Gadot



Conquistou o título de Miss Israel em 2004, e representou o país no concurso de beleza Miss Universo naquele mesmo ano. Em 2007 participou de uma sessão de fotos para a revista Maxim intitulada "Mulheres do Exército Israelense", que apresentou modelos de Israel que eram membros do exército daquele país. A foto de Gal apareceu no convite para a festa de lançamento do controverso ensaio, e na capa do New York Post. Em 2008, Gadot desempenhou o papel principal no drama israelense Bubot("Bonecas"). Também foi escolhida para ser a modelo principal da Castro, a maior marca de roupa israelense. Gadot apareceu em Fast & Furious 4 (br: Velozes e Furiosos 4), juntamente com as co-estrelas Vin Diesel e Paul Walker, após ter vencido a seis outras atrizes para o papel. Em 2010 Gadot ganhou um pequeno papel na ação-aventura Knight and Day, estrelando ao lado de Tom Cruise e Cameron Diaz. No dia 4 de dezembro de 2013 Gal foi confirmada para interpretar a Mulher-Maravilha em Batman v Superman: Dawn of Justice, juntando-se a Henry Cavill como Superman e Ben Affleck como Batman. O filme foi lançado em março de 2016. Em 2017 estrelou um filme solo da Mulher Maravilha, sendo um sucesso nas bilheterias. Com a atriz principal sendo de Israel, país em guerra com o Líbano, o filme inicialmente foi proibido de se passar no país rival.

    Gadot casou-se com o empresário Yaron Versano em 28 de setembro de 2008 enquanto participava das gravações de Fast & Furious 4. Em novembro de 2011, nasceu sua primeira filha, chamada Alma. Sua segunda filha, Maya, nasceu em março de 2017.


#Coluna da Marielle: Como Bridget Jones (ou quase)



        Oi gente! Ressuscitei outra vez, e neste humilde post vou partilhar umas idéias com vocês. Alguém já viu o filme "Bridget Jones: No limite da razão" ou outro da franquia? Eu só assisti esse e pretendo assistir o seguinte. Mas não vou resenhar sobre os filmes, mas sobre minhas idéias e pensamentos sobre Bridget em geral.
    No filme a personagem principal narra suas desventuras, realizações, angustias e vitórias emocionais e pessoas em seu diário. Sob certo ponto de vista, ela reflete como uma mulher se sente. Afinal, quem de nós nunca se sentiu a única a não ter um relacionamento ou que fracassa nos que tem, que não tem a tal sonhada posição no trabalho ou que nas reuniões de família se sente sufocada ou exposta em um aquário?  

   Ultimamente sinto-me assim, afinal a maioria das pessoas na casa dos 20 já está na corrida para suas realizações pessoais, mas será que este é o único critério de avaliação para ser bem sucedido? Obviamente não acho que devemos ficar parados, mas se cobrar desnecessariamente só serve para gerar o maldito sentimento de frustração. É dureza lidar com estes conflitos, mas como as situações em que Bridget Jones passa nos filmes, algumas coisas somos nós que vemos de modo pior, e só precisamos respirar fundo e tentar de novo para dar certo.
Beijos! 💋💋💋

#Resenha da Mari: No seu Olhar, de Nicholas Sparks





          Como sempre estou lendo algo do Nicholas Sparks (Gente, o cara é o rei do romance), vou falar para vocês sobre o último que li: No seu olhar. Um pouco diferente dos que li dele, esse traz uma pitada amais de suspense envolvendo uma investigação emocionante.
   Conhecemos aqui Maria Sanchez, uma mulher jovem e bonita, além de extremamente inteligente que rabalha como advogada. Porém não vivie o glamour que muitos pensam, vive uma rotina contida, mas após eventos traumáticos, ela se vÊ retornando a Wilmington, sua terra natal, onde seus pais vivem cuidando de seu restaurante e sua irmã começa a vida adulta.
   Além dela, Colin Hancock recomeça a vida. Durante sua juventude sofreu com a falta de carinho dos pais, com violência e problemas com a polícia, mas está decidido a mudar e se tornar professor. Maria e Colin não podiam ser mais diferentes, porém o destino os coloca no mesmo caminho durante uma tempestade, quando o carro de Maria decide não funcionar. Após uma conversa num píer, ambos começam a mudar o filtro com que se veêm e aos poucos algo profundo nasce entre eles.
Mas a vida dá uma reviravolta, quando um trauma do passado de Maria ressurge e o relacionamento deles é posto a prova. Eu amei o livro, tem uma leitura leve e gostosa, típica do Nicholas Sparks, mas o trama envolvendo Maria dá um ar ainda mais atrativo a história, te prendendo a cada página, e o laço tão verdadeiro entre os dois te dá vontade de se apaixonar.
   Quem leu ou ler, pode me contar o que acha!
    Abraços  ❤