#Popcorn Time: Mulher Maravilha (Por Marielle)




         Mulher Maravilha chegou as telas do cinema por aqui este mês e já conquistou muitas pessoas. A história da lendária princesa amazona, uma das formadoras da liga da justiça foi contada de forma bem estruturada e excelentemente representada pela bela Gal Gadot. No filme conhecemos a origem de Diana Prince, uma das amazonas que vivem na Ilha Paraíso. Cresceu sendo preparada para ser a melhor amazona, e ouvindo as histórias de seu povo e da poderosa espada "Matadora de deuses". 
   A paz na ilha é afetada quando um piloto chamado Steve Trevor cai ali, trazendo notícias de uma guerra terrível, o que desperta Diana para o objetivo de vencer o mal por trás de tudo. Esta Odisseia trará para a princesa muito mais do que uma guerra a vencer.

  Achei o filme uma excelente adaptação das histórias da Mulher Maravilha,apresentando-a como muito mais que uma mulher com um uniforme atraente e poderes, mas sim como uma pessoa com bom caráter, usando o amor e a justiça e a percepção exata do que é certo para vencer os conflitos. Com ótimos gráficos, um romance que complementa a história sem deixá-la boba e cenas de luta de tirar o fôlego, Mulher Maravilha é o filme que você não pode deixar de ver.

Trailer!






Sobre Gal Gadot



Conquistou o título de Miss Israel em 2004, e representou o país no concurso de beleza Miss Universo naquele mesmo ano. Em 2007 participou de uma sessão de fotos para a revista Maxim intitulada "Mulheres do Exército Israelense", que apresentou modelos de Israel que eram membros do exército daquele país. A foto de Gal apareceu no convite para a festa de lançamento do controverso ensaio, e na capa do New York Post. Em 2008, Gadot desempenhou o papel principal no drama israelense Bubot("Bonecas"). Também foi escolhida para ser a modelo principal da Castro, a maior marca de roupa israelense. Gadot apareceu em Fast & Furious 4 (br: Velozes e Furiosos 4), juntamente com as co-estrelas Vin Diesel e Paul Walker, após ter vencido a seis outras atrizes para o papel. Em 2010 Gadot ganhou um pequeno papel na ação-aventura Knight and Day, estrelando ao lado de Tom Cruise e Cameron Diaz. No dia 4 de dezembro de 2013 Gal foi confirmada para interpretar a Mulher-Maravilha em Batman v Superman: Dawn of Justice, juntando-se a Henry Cavill como Superman e Ben Affleck como Batman. O filme foi lançado em março de 2016. Em 2017 estrelou um filme solo da Mulher Maravilha, sendo um sucesso nas bilheterias. Com a atriz principal sendo de Israel, país em guerra com o Líbano, o filme inicialmente foi proibido de se passar no país rival.

    Gadot casou-se com o empresário Yaron Versano em 28 de setembro de 2008 enquanto participava das gravações de Fast & Furious 4. Em novembro de 2011, nasceu sua primeira filha, chamada Alma. Sua segunda filha, Maya, nasceu em março de 2017.


#Coluna da Marielle: Como Bridget Jones (ou quase)



        Oi gente! Ressuscitei outra vez, e neste humilde post vou partilhar umas idéias com vocês. Alguém já viu o filme "Bridget Jones: No limite da razão" ou outro da franquia? Eu só assisti esse e pretendo assistir o seguinte. Mas não vou resenhar sobre os filmes, mas sobre minhas idéias e pensamentos sobre Bridget em geral.
    No filme a personagem principal narra suas desventuras, realizações, angustias e vitórias emocionais e pessoas em seu diário. Sob certo ponto de vista, ela reflete como uma mulher se sente. Afinal, quem de nós nunca se sentiu a única a não ter um relacionamento ou que fracassa nos que tem, que não tem a tal sonhada posição no trabalho ou que nas reuniões de família se sente sufocada ou exposta em um aquário?  

   Ultimamente sinto-me assim, afinal a maioria das pessoas na casa dos 20 já está na corrida para suas realizações pessoais, mas será que este é o único critério de avaliação para ser bem sucedido? Obviamente não acho que devemos ficar parados, mas se cobrar desnecessariamente só serve para gerar o maldito sentimento de frustração. É dureza lidar com estes conflitos, mas como as situações em que Bridget Jones passa nos filmes, algumas coisas somos nós que vemos de modo pior, e só precisamos respirar fundo e tentar de novo para dar certo.
Beijos! 💋💋💋

#Resenha da Mari: No seu Olhar, de Nicholas Sparks





          Como sempre estou lendo algo do Nicholas Sparks (Gente, o cara é o rei do romance), vou falar para vocês sobre o último que li: No seu olhar. Um pouco diferente dos que li dele, esse traz uma pitada amais de suspense envolvendo uma investigação emocionante.
   Conhecemos aqui Maria Sanchez, uma mulher jovem e bonita, além de extremamente inteligente que rabalha como advogada. Porém não vivie o glamour que muitos pensam, vive uma rotina contida, mas após eventos traumáticos, ela se vÊ retornando a Wilmington, sua terra natal, onde seus pais vivem cuidando de seu restaurante e sua irmã começa a vida adulta.
   Além dela, Colin Hancock recomeça a vida. Durante sua juventude sofreu com a falta de carinho dos pais, com violência e problemas com a polícia, mas está decidido a mudar e se tornar professor. Maria e Colin não podiam ser mais diferentes, porém o destino os coloca no mesmo caminho durante uma tempestade, quando o carro de Maria decide não funcionar. Após uma conversa num píer, ambos começam a mudar o filtro com que se veêm e aos poucos algo profundo nasce entre eles.
Mas a vida dá uma reviravolta, quando um trauma do passado de Maria ressurge e o relacionamento deles é posto a prova. Eu amei o livro, tem uma leitura leve e gostosa, típica do Nicholas Sparks, mas o trama envolvendo Maria dá um ar ainda mais atrativo a história, te prendendo a cada página, e o laço tão verdadeiro entre os dois te dá vontade de se apaixonar.
   Quem leu ou ler, pode me contar o que acha!
    Abraços  ❤

#Popcorn time: Nerve, Um jogo sem limites




        No filme Nerve conhecemos Vee, uma jovem tímida no final do ensino médio, que precisa lidar com a morte de seu irmão mais velho, a escolha da faculdade e sua paixão platônica por JP, um jogador do time de futebol da escola. 
   Através de sua melhor amiga Sydney conhece o jogo on line Nerve, mas diferente do
tradicional Verdade ou desafo, o participante escolhe se será um jogador e realizar ou não ou desafios propostos para ganhar dinheiro ou um observador, que paga para ver os desafiantes e propor desafios. No início Vee reluta em entrar no jogo para ser mais uma observadora para a amiga e ajudá-la a chegar na grande final. E logo no 1º desafio de Sidney, ela levanta a saia em público.
 Mas após um "mico" que Sydney faz Vee passar, a jovem decide entrar de cabeça no jogo e seu primeiro desafio é beijar um estranho. O que no início parece simples, acaba se tornando uma trama muito elaborada e perigosa, já que a cada desafio muitos participantes se tornam ambiciosos e loucos pelo dinheiro que podem ganhar e os observadores lançam desafios absurdos dos
quais alguém pode pagar com a própria vida.
   Achei Nerve um filme muito interessante, nele podemos analisar como o poder de entretenimento, de desejar ter mais

seguidores, e observar as pessoas pode ficar acima do senso humano do que é certo ou errado, além de que a internet está pouco a pouco tirando as pessoas da conexão "humano à humano" para "celular à celular". Devemos tomar cuidado para não acabarmos sendo como no filme: dominados por aquilo que deveríamos governar e usar com sabedoria.
O filme merece 4 estrelas.


Trailer:

http://www.adorocinema.com/filmes/filme-235120/trailer-19550822/

#Spoiler: Desventras em Série, na Netflix



                   Acredito que todo mundo já viu/ começou a ver ou pelo menos ouviu falar da nova produção da Netflix: Desventuras em série. Assim como o filme, a série segue as histórias dos "azarados" irmãos Boudelare: Violet, Klaus e Sunny, que se tornam órfãos após um misterioso incêndio na mansão que moravam.

    Por mais um infortúnio, são levados a viver sob a tutela de Conde Olaf, um inescrupuloso homem que só quer a fortuna dos irmãos. Achei a série muito bem elaborada, tanto as atuações quanto o cenário são primorosos e todo o enredo segue muito bem os livros de Lemony Snicket, e durante os episódios você se vê odiando Olaf e ao mesmo tempo se divertindo com seus trejeitos, além de torcer para que a sorte sopre a favor dos Boudelares. Eu recomendo e com certeza a série merece 5 estrelas!




Curiosidades:

A cada dois episódios, é adaptado um livro. Durante a primeira temporada, são adaptados quatro livros: "Mau Começo", "Sala dos Répteis", "O Lago das Sanguessugas" e "Serraria Baixo-Astral".


Desventuras em Série é uma série de livros escrita por Lemony Snicket, pseudônimo de Daniel Handler. O primeiro livro, de um total de 13, foi lançado em 1999 e, em 2004, Desventuras em Série foi adaptado para o cinema, em um longa dirigido por Brad Silberling e com Jim CareyMeryl Streep e Jude Law no elenco.

Fonte: http://www.adorocinema.com/series/serie-18416/temporada-28537/

# Spoiler: Nosso quadro de séries!





Eu sei que temos aqui no Blog um quadro de filmes e tal, mas achei que seria interessante fazer um para séries,  então que tal? Ele vai se chamar "Spoiler", embora sem conter nenhum, já que essa palavra é um motivo de terror para quem assiste séries ou etc não é mesmo? Bom, da próxima vez que verem "Spoiler",  saibam que é sobre algo que estou assistindo e não um de fato.

Até breve!

# Rolf Cruz: Fui ser feliz, e não volto

Fui ser Feliz, e Não Volto



Autor: Rolf Cruz
Goiânia, Goiás, 1o de junho de 2016.

Não tenho tempo mais para mimimis.
Não tenho tempo para perder com gente que não aceita ouvir um não sequer.
No mundo de hoje as pessoas anseiam por muita atenção. Mais atenção do que antigamente. Eu sou um desse.
Hoje, na era da tecnologia, na era dos likes, era do curtir, era do seguir, as pessoas estão em busca de status nas redes sociais e, quanto mais curtida, melhor. Será mesmo?
O que importa mesmo é “curtidas”, os likes das redes sociais, ou a rede social em si? O real ou o virtual?
Hoje em dia quase não sabemos mais distinguir o real do virtual.
Não vemos mais pessoas se relacionando por outro motivo a não ser o de ter mais “curtidas” em uma foto, ou mais likes na página do blog, ou saber se o outro tem mais ou menos visualizações.
O que importa não é mais a pessoa, o relacionamento, mas a quantidade de amigos virtuais que a pessoa atinge na rede social. Tudo virtual. Voltemos os nossos olhos e ouvidos para o mundo real.
Fui ser feliz, e não volto.
Vamos nessa? Vamos ser feliz?